Histórico da Cidade

   Como muitas cidades litorâneas brasileiras, Guarapari surgiu dos aldeamentos criados pelos jesuítas, com o objetivo de catequizar os índios.
Por volta de 1580, o Padre Jose de Anchieta e seus missionários, que mantinham assistência regular aos índios, decidiram concretizar a criação de um desses redutos, já idealizados no ano 1569, quando percorriam as terras do Espírito Santo.
      No alto de uma colina, levantou-se um convento para os missionários e uma igreja devotada a Santa Ana, recebendo este lugarejo o nome de Aldeia do Rio Verde ou Aldeia de Santa Maria de Guaraparim, que foi oficialmente fundada no ano de 1585.
       Em 1667, sob o mando de Francisco Gil de Araújo, donatário da Capitania do Espírito Santo, foi edificada uma outra igreja ao lado oposto do convento dedicando-a a Nossa Senhora da Conceição, cujas ruínas estão, hoje, tombadas pelo Patrimônio Histórico.
       Em 01 de Janeiro de 1679, atendendo a uma petição dos moradores que habitavam essa crescente povoação, o donatário Francisco Gil de Araújo, mandou fundar uma vila na barra do rio Guarapari, ordenando a eleição de um Juiz e Vereadores.

O nome Guarapari tem origem na língua Tupy-Guarani:
GUARÁ - Uma garça de coloração vermelha;
PARY - Armadilha ou laço.

       Em 1835, foi criada a Comarca de Guarapari, cuja administração era exercida pelo Presidente da Câmara Municipal, cargo que hoje corresponde ao de Prefeito.
Em 19 de setembro de 1891, Guarapari recebeu foros de cidade, concedido pela Lei Estadual número 28.
       Com a emancipação política e a descoberta de Areias Monazíticas, em 1898, com vasto emprego na área industrial, a cidade foi projetada nacional e internacionalmente.
      O marco do surgimento de Guarapari como cidade turística, deu-se no período entre 1930 e 1940, quando o Dr. Silva Mello, médico-cientista, assistente do Instituto de Radium de Berlim, no decurso da Primeira Guerra Mundial, veio para Guarapari realizar estudos médicos sobre as propriedades radioativas das areias monazíticas, que tinham eficiente atuação sobre os reumáticos, os gotosos, os neuríticos e portadores de toda espécie de artríticos.
       Os resultados de seus estudos sobre as propriedades terapêuticas das areias monazíticas, assim como as belezas naturais da cidade publicadas no Jornal do Brasil, provocou um intenso movimento de veranistas, vindos até de pontos longínquos do Brasil, que superlotavam as praias e inúmeras pensões e hotéis existentes.
     Guarapari, hoje, tornou-se o maior pólo turístico do estado do Espírito Santo, servida por vasta rede hoteleira, bons restaurantes e agitada vida noturna, especialmente durante a temporada de férias. Neste período a cidade que tem uma população fixa de 90 mil habitantes, recebe um contingente de aproximadamente 500 mil turistas.

VIDA NOTURNA

A vida noturna do município tem seu ápice no verão. A vasta oferta de atrações faz com que Guarapari seja o destino preferido dos capixabas e de turistas de todo o Brasil. Alguns destaques são: o Pedreira Adventures Park, em Perocão; a boite Luazul, em Nova Guarapari; e o Multiplace Mais, em Meaípe.

Pedreira
Pedreira
   Pedreira: Esportes durante o dia...
     ... e shows à noite   


CLIMA

O clima em Guarapari é tropical, caracterizando-se por uma queda razoável de chuvas e pelo calor, em média de 22oC, que faz durante quase todo o ano. No verão há um aumento considerável do calor e no inverno, com a chegada de frentes frias, há uma pequena diminuição da temperatura média.




Fotos de Praias e outras informações CLIQUE AQUI -



Conheça nosso Turismo submarino. CLIQUE AQUI.


Conheça nossa culturara e nossos artesanatos. CLIQUE AQUI